O mistério de Nossa Senhora da Salette

A mensagem de Nossa Senhora da Salette gira em torno da atenção que se deve ter em relação aos males que afastam o povo dos projetos de Deus

fot. Magdalena Galek

Aleteia / Pe. Adilson Schio, Missionário de N. Sra. da Salette, pelo Hozana

A aparição de Nossa Senhora da Salette aconteceu no dia 19 de setembro de 1846. Era um dia de sábado, próximo à festa litúrgica de Nossa Senhora das Dores. No alto da região de La Salette, nos Alpes Franceses, uma “Bela Senhora” apareceu a dois pequenos pastores que haviam se conhecido dois dias antes do acontecido e que trabalhavam no cuidado de pequenos rebanhos de vacas para ajudar financeiramente suas famílias, que eram pobres. Maximino e Melânia, originários da cidade de Corps, quase nada entendiam de religião ou de Igreja. Muito pouco sabiam rezar e eram o exemplo mais evidente de uma sociedade que “tentava” viver sem Deus e longe de tudo que representava fé e compromisso cristão.

A esses dois, Nossa Senhora veio vestida como uma mulher simples daquela época, trajando vestes camponesas, carregando em seus ombros correntes e rosas. Sua atitude feminina de aparecer sentada sobre uma pedra, com os punhos sobre as pernas e as mãos escondendo o rosto em lágrimas, chamou a atenção daquelas crianças que, depois do convite da “Bela Senhora” para aproximarem-se, colocaram-se em atenta escuta do que Ela tinha para lhes dizer.

A mensagem de Nossa Senhora da Salette gira em torno da atenção que se deve fazer com relação aos males que afastam o povo dos projetos de Deus e das situações do mundo cujas consequências revelam uma sociedade sem amor ao próximo, sem solidariedade, sem promoção humana e até sem respeito pelo mundo criado por Deus. Em seu diálogo com as duas crianças Maria insiste em dizer que a “conversão” é o caminho e a solução para o mundo daquele tempo e quem sabe também para o nosso mundo de hoje. Há na “conversão” do coração uma atitude que pode aproximar tudo e todos de Deus.

Antes de voltar ao céu, Nossa Senhora pediu a Maximino e Melânia que transmitissem tudo aquilo a todo o “seu povo”. Daquele fato surgiu um grande movimento e uma grande espiritualidade: a espiritualidade da Reconciliação, ou seja, o desafio de se viver uma vida “harmoniosa” com Deus, consigo mesmo, com os irmãos, com a natureza e até mesmo com a história humana.

É esta espiritualidade que queremos refletir e vivenciar no retiro online “Deixai-vos reconciliar à luz do Mistério de Nossa Senhora da Salette”. O Papa Francisco tem afirmado que a reconciliação é a experimentação “da alegria que surge do encontro de amor e de misericórdia entre Deus e seus filhos”.

Você é nosso convidado a fazer parte desta Comunidade de Oração em busca de viver a reconciliação e a conversão que nos faz acreditar que, na esperança cristã, há sempre uma nova oportunidade de experimentarmos o Deus da Vida, o Deus do amor, o Deus da prece e o Deus do louvor. Clique aqui para se inscrever.

Venha fazer parte dessa comunidade e espalhemos a reconciliação em todos os cantos do mundo e por todos os dias de nossa vida.

Artigo anteriorCapuchinhos RJ: Pastoral Familiar convida a comunidade paroquial para participar da Semana Nacional da Família
Próximo artigoPapa Francisco propõe a jovens o exemplo de Carlo Acutis