Solenidade dos Votos Perpétuos de Frei Rafael Kruger acontecerá neste sábado, 28, às 17h

“Orem para que enviem santas vocações capuchinhas para a Igreja e rezem por mim também” (Frei Rafael Kruger)

FREI RAFAEL: “O que mais me chamou atenção foi a acolhida dos frades” (Fotos: Emilton Rocha)

Emilton Rocha / Pascom

Neste sábado, 28 de maio, sábado, às 17h, frei Rafael Fraga Kruger, OFMcap, integrante da Província Nossa Senhora dos Anjos estará emitindo os Votos Perpétuos em solenidade no Santuário Basílica de São Sebastião, localizado na Tijuca, em celebração presidida pelo ministro provincial, frei Arles Dias de Jesus. A celebração terá as participações de familiares, irmãos da Ordem, amigos e paroquianos e será transmitida ao vivo pelo Facebook.

Natural de Vila Velha (ES), 31 anos, filho de Tânia Maria Fraga e Nelson Kruger, o frade tem quatro irmãos e uma irmã. Atualmente faz graduação em Filosofia/Teologia, no Instituto São João Paulo II (Seminário São José).

A vida religiosa é marcada pela profissão dos votos de pobreza, castidade e obediência, realizados depois de um período de preparação que dura alguns anos, após a entrada no seminário ou convento. Após essa primeira profissão, segue-se uma sequência de votos temporários, ou seja, profissões válidas por um ano.

Nessa caminhada, em um determinando momento, os religiosos se preparam para a sua Profissão Perpétua, que representa a adesão definitiva a uma ordem ou congregação religiosa. Embora a primeira profissão marque para sempre a vida do religioso, a perpétua renova de forma decisiva o seu compromisso e seguimento a Deus e à Igreja.

Agradecimentos aos irmãos capuchinhos que o acolheram de braços abertos “e todos aqueles que caminharam comigo até hoje”.

A Profissão Perpétua possui um caráter mais jurídico. Uma vez que os religiosos já realizaram a Profissão Temporária, eles irão renovar, de forma definitiva, o seu compromisso a Deus junto ao Instituto e à Igreja, através dos votos de pobreza, castidade e de obediência. Abaixo, uma entrevista com frei Rafael.

PASCOM – Como se deu seu primeiro encontro com a Ordem dos Frades Menores Capuchinhos?

Frei Rafael – Foi através do Frei Antônio Reginaldo Ferreira, que na época residia em Nova Almeida, no município de Serra, Espirito Santo. Depois desse contanto começamos a fazer o processo vocacional, durante o qual tive a oportunidades de conhecer ainda mais a Ordem e o Carisma Capuchinho. Nesse mesmo ano, aconteceu a Missão Popular, acabei me encantando e tive a oportunidade de conhecer as outras fraternidades durante todo o processo vocacional. O que mais me chamou a atenção foi a acolhida dos frades.

PASCOM O que significa para você a confirmação dos Votos Perpétuos?

Frei Rafael – Neste momento, sinto uma grande alegria e muita gratidão. Alegria, porque disse o meu sim para toda a vida a Deus e à Ordem dos Frades Menores Capuchinhos. Gratidão a Deus pelo dom da vida e da vocação. Também agradeço aos meus familiares que me educaram e me transmitiram a fé cristã. Agradeço particularmente aos irmãos capuchinhos que me acolheram de braços abertos e todos aqueles que caminharam comigo até hoje.

PASCOMO que o levou a entrar na Ordem Franciscana?

Frei Rafael – Escolhi a Ordem dos Frades Menores Capuchinhos por vários motivos: primeiro, pela forma de vida que levam; segundo, pela simplicidade; terceiro, pela vida fraterna, e, sobretudo, pelo serviço dos irmãos ao lado dos mais pobres e necessitados. E o que me levou a consagrar a vida a Deus foi o amor que Deus tem por mim e por todos os homens. Por este motivo, escolhi como lema para a profissão esta frase “Nunca perca de vista o seu ponto de partida” (Santa Clara de Assis).

A mensagem de Frei Rafael

“Irmãos, na Família Franciscana Capuchinha todos nós somos vocacionados de Deus, somos amados e chamados por Ele a nos realizar enquanto pessoas solidárias, propagadoras do amor de Deus por todos. Toda resposta ao projeto de Deus precisa ser generosa e sem medo porque é o Espírito que nos sustenta nesta missão e que se fortifica em nós quando rezamos uns pelos outros.

Quero aproveitar e pedir que rezemos sempre por aqueles com os quais convivemos, que possamos sempre mais fortalecer o laço e a amizade Capuchinha. Orem para que enviem santas vocações capuchinhas para a Igreja e rezem por mim também. Que as preces ao Senhor me ajudem a viver este processo formativo como verdadeiramente um tempo da Graça de Deus em minha vida e na Ordem dos Frades Menores Capuchinhos. Estamos todos sintonizados na mesma fé que nos une e nos faz irmãos e irmãs. Paz e Bem.”

Artigo anteriorHoje é celebrada a memória de Nossa Senhora Auxiliadora
Próximo artigoSanto do dia 25 de maio: São Gregório VII