Nossa Senhora das Graças reforça a importância de sempre rezarmos

Se, na mesma proporção que buscamos manter a sobrevivência do corpo, buscássemos manter a sobrevivência da alma, não seríamos tão doentes espiritualmente

Aleteia / Padre Reginaldo Manzotti

Em 27 de novembro, a Igreja celebra Nossa Senhora das Graças. Foi nesse mesmo dia, em 1830, que a noviça Catarina Labouré teve uma visão de Nossa Senhora, na capela das Irmãs Filhas da Caridade de São Vicente de Paulo.

Nessa visão, a Virgem Santíssima estava em cima de um globo e tinha sob seus pés uma serpente. Das mãos de Nossa Senhora provinham raios luminosos, símbolo das graças que Ela derrama sobre quem suplica. E os raios opacos simbolizavam as graças que não eram pedidas.

Essa aparição, além de tanto simbolismo, nos lembra a importância de sempre rezarmos, suplicando pela intercessão de Maria, para atender nossas necessidades. Filhos, a oração transfigura, a oração transcende, a oração muda, a oração converte, a oração verdadeira nos impulsiona.

A oração ideal

Muitas vezes, nossas orações não estão sendo qualificativas. Nós estamos sendo mecânicos, ritualistas, cumpridores e observadores, mas não estamos deixando nos tocar por Deus.

Está sendo um caminho de ida, mas não há o caminho de volta. Não porque Deus não quer, mas porque não deixamos, nós não O escutamos. Na mesma proporção que nos dedicamos a cuidarmos do corpo, devemos dedicar a cuidar do espírito.

Se, na mesma proporção que buscamos manter a sobrevivência do corpo, buscássemos manter a sobrevivência da alma, não seríamos tão doentes espiritualmente. Não seríamos desnutridos, desesperados e desgastados. Por isso, insisto tanto na disciplina, no reservar um momento para a intimidade com Deus.

Como saber o que está errado

Muitos me perguntam: E quando a oração não é atendida? Como saber o que está errado? A oração é um combate e nós devemos lutar contra tudo aquilo que nos faz desanimar, como a sensação de fracasso, ressentimento e decepção, principalmente por não ser atendido. Chamo a atenção para o que diz, um dos Padres do Deserto: “Não te aflijas quando não receberes imediatamente de Deus, o objeto de teu pedido: é que Ele quer fazer-te ainda maior bem, por tua perseverança em permanecer com Ele na oração” (Evágrio Pôntico). “Ele quer que nosso desejo seja provado na oração. Assim Ele nos prepara para receber aquilo que Ele está pronto a nos dar” (Santo Agostinho).

Esses pensamentos dizem para não nos desesperarmos. A demora de Deus é uma provação da oração, nos prepara para a graça que vamos receber. Essa é a prática de esperar em Deus e a oração é uma espera em Deus que requer recolhimento. A meditação nos ajuda neste contexto de sempre voltarmos o pensamento para Deus e aumentar a esperança, sem cairmos em desespero.

Oração a Nossa Senhora das Graças

Rezemos juntos:

Virgem Imaculada, 

Nesta oração, venho pedir as graças que me são tão necessárias. 

Nossa Senhora das Graças, Mãe da Medalha Milagrosa, 

Ao olhar tuas mãos derramando graças e bênçãos, 

Com confiança, peço tua poderosa intercessão. 

Mãe, embora eu não seja digno(a), apresenta o meu pedido ao teu Divino Filho Jesus. 

Nossa Senhora das Graças, Mãe da Medalha Milagrosa, 

Obtém de teu Filho a graça que peço com profunda confiança. 

Santíssima Virgem, 

Creio e professo tua Santa e Imaculada Conceição, pura e sem mancha. Puríssima Virgem Maria, 

Faz-me alcançar a humildade, a caridade, a obediência, a pureza de corpo e de espírito de teu amado Filho. 

Ajuda-me a alcançar, Mãe, a perseverança na prática do bem durante toda a minha vida e uma santa morte. 

Amém.

Artigo anteriorSanto do dia 22 de novembro: Santa Cecília
Próximo artigoFilme “Jesus” é traduzido para o idioma número 2.000