11 de setembro de 2020

Um dia como hoje começou a prática da adoração perpétua ao Santíssimo Sacramento

Em 11 de setembro, o rei Luís VII pediu para expor o Santíssimo Sacramento como forma de celebrar a vitória sobre os albigenses

SantisimoSacramento_Unsplash_240320

Hoje, 11 de setembro, comemora-se 794 anos desde o início da Adoração Perpétua ao Santíssimo Sacramento em Avignon (França), uma prática que agora se espalhou por todo o mundo.

De acordo com a Enciclopédia Católica, a adoração perpétua é uma expressão que se usa para designar a adoração sem interrupção do Santíssimo Sacramento ou com pausas curtas de tempo.

O termo é usado “no sentido moral, quando se interrompe somente por um curto espaço de tempo, ou por razões obrigatórias, ou por circunstâncias fora do controle, para ser retomada, no entanto, o mais rápido possível”, acrescentou.

A enciclopédia indica que muitos especialistas atribuem o início da adoração a Jesus Eucaristia ao momento em que a festa de Corpus Christi foi instituída em 1246, pelo Bispo Roberto de Thorete, e por sugestão de Santa Juliana de Mont Cornillon.

No entanto, a primeira adoração perpétua registrada foi em Avignon, em 1226.

Em 11 de setembro, o rei Luís VII pediu para expor o Santíssimo Sacramento como forma de celebrar a vitória sobre os albigenses, uma seita que floresceu no sul da França nos séculos 12 e 13.

“Em ação de graças, o Santíssimo Sacramento coberto com um véu foi exposto na Capela da Santa Cruz” em Orleans, destaca a enciclopédia.

Diante do grande número de pessoas que se aproximaram para adorar Jesus Eucaristia, Dom Pierre de Corbie “considerou conveniente continuar a adoração pela noite, assim como de dia”.

A Santa Sé posteriormente ratificou esta adoração perpétua, que se manteve de forma ininterrupta até 1792, quando foi interrompida pelo caos da Revolução Francesa, e foi retomada em 1829, graças aos esforços da “Confraria dos Penitentes-Cinza”.

A adoração perpétua espalhou-se pela Europa, e foi somente com a devoção das Quarenta Horas, oficialmente instituída em 1592, que esta prática da fé católica realmente “se desenvolveu em geral”.

A devoção das Quarenta Horas difundiu a Adoração Perpétua em “várias igrejas de Roma, até que gradualmente se espalhou por todo o mundo, de modo que se pode verdadeiramente dizer que, durante todas as horas do ano, o Santíssimo Sacramento, exposto solenemente, é adorado por multidões de fiéis”, acrescentou a enciclopédia.

Publicado originalmente em ACI Prensa. Traduzido e adaptado por Nathália Queiroz. Foto: Imagem referencial. Crédito: Unsplash

clear