25 de dezembro de 2018

Tradicional Missa do Galo celebrou o nascimento de Jesus na Basílica de São Sebastião

Missa foi celebrada na noite desta segunda-feira, 24, pelo reitor Frei Arles de Jesus

DSC_3671 (Copy)Por Emilton Rocha* / Pascom

Mesmo com tempo chuvoso, centenas de pessoas se reuniram na tradicional Missa do Galo, no Santuário Basílica de São Sebastião (Capuchinhos), na Tijuca, que teve início às 20 horas com duração de cerca de 1 hora e meia. A celebração foi presidida pelo reitor, Frei Arles Dias de Jesus, concelebrada por Frei João Carlos de Araújo e Frei Regivaldo Silva do Nascimento, e participação do Coral de São Sebastião, da Pastoral da Música. A solenidade é o ponto alto da comemoração, pelos católicos, do nascimento de Jesus, iniciada há quatro semanas com o Tempo do Advento.

A paraense Joana Damasco Meira, 45 anos, analista de sistemas, viúva, diz que todo ano participa da Missa do Galo com os filhos como parte especial da celebração do Natal e que, ao voltarem para casa, é realizada a distribuição dos presentes e a tradicional ceia.

DSC_3538 (Copy)“Como viajo muito, não costumo frequentar assiduamente esta igreja, mas faço questão de estar presente nas ocasiões especiais, como na bênção dos capuchinhos na primeira sexta-feira do ano, no Círio de Nazaré e na Missa de Natal” – disse.

Tempo do Advento

De acordo com a Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, o A palavra “advento” tem origem latina e significa “chegada”, “aproximação”, “vinda”. No Ano Litúrgico, o Advento é um tempo de preparação para a segunda maior festa cristã: o Natal do Senhor. Neste tempo, celebramos duas verdades de nossa fé: a primeira vinda (o nascimento de Jesus em Belém) e a segunda vinda de Jesus (a Parusia). Assim, a Igreja comemora a vinda do Filho de Deus entre os homens (aspecto histórico) e vive alegre expectativa da segunda vinda d’Ele, em poder e glória, em dia e hora desconhecidos (aspecto escatológico).

Ainda conforme a Arquidiocese, este tempo é marcado por uma vivência mais profunda da vida de oração. A leitura orante deste período nos coloca em contato com as profecias de salvação do Antigo Testamento, com a expectativa que os cristãos da Igreja primitiva tinham da Parusia e com os eventos principais que antecederam o nascimento de Jesus. A recordação dos eventos que antecederam a primeira vinda de Cristo se torna a base da preparação da Igreja para o novo Advento do Senhor. A Santa Missa e a Liturgia das Horas são os principais momentos celebrativos. Os exercícios de piedade, como a oração e a meditação dos mistérios gozosos do Rosário, a oração do Angelus Domini e a Novena de Natal podem ser um caminho feliz para a vivência da oração comunitária neste tempo.

DSC_3630 (Copy)A Missa do Galo

“Missa do Galo”, que até alguns anos era celebrada à meia-noite [atualmente, na maioria das igrejas, a celebração acontece mais cedo] do dia 24 de dezembro, foi instituída pelo Papa São Telesforo no ano 143.  Desde o século IV, um hino latino cantado na cerimônia do Natal aponta o nascimento do Cristo no meio da noite. Daí o costume de assumir a meia-noite como hora do nascimento de Jesus.

Mas de onde surgiu a expressão “Missa do Galo”? Existem várias explicações que versam sobre a origem dessa denominação.

Uma delas, de origem romana, conta que, naquele 24 de dezembro, foi a única vez que o galo cantou à meia-noite, antecipando o anúncio do nascimento de Jesus. O galo era considerado uma ave sagrada no antigo Império Romano. O animal passou a simbolizar vigilância, fidelidade e testemunho cristão. Tanto que, nas Igrejas mais antigas, há a figura da ave em seus campanários.

Outra lenda diz que, antes de baterem as 12 badaladas da meia-noite do dia 24 de dezembro, cada lavrador da província de Toledo, Espanha, matava um galo em memória daquele que cantou quando Pedro negou Jesus. A ave era levada para a Igreja e, depois, doada aos pobres, garantindo-lhes um Natal mais feliz.

Há ainda outra explicação: a que diz que  a comunidade cristã de Jerusalém ia em peregrinação a Belém para participar da Missa do Natal na primeira vigília da noite dos judeus, na hora do primeiro canto do galo.

O certo mesmo é que a expressão “Missa do Galo” só existe nos países de língua latina.  Oficialmente, a denominação utilizada para essa Celebração Eucarística é “Santa Missa de Natal” ou “Celebração do Natal do Senhor’. Regularmente, a Missa do Galo celebrada pelo Papa ocorre na Basílica de São Pedro, no Vaticano, e costuma ser transmitida por várias redes de Televisão.

Nos últimos anos, várias Igrejas brasileiras anteciparam o horário da “Missa do Galo” em virtude da violência nas cidades. Na maioria das paróquias, a Missa começa às 20h e termina por volta das 22h.

__________

Com informações da Agência Ecclesia.

GALERIA

Para ampliar, clique 2 vezes na miniatura.

clear