A imagem peregrina da Rainha da Amazônia esteve, de 5 a 8 de setembro, em visita à Arquidiocese do Rio Janeiro e ao Santuário Basílica de São Sebastião, onde foi recebida, no dia 8, pelo reitor e pároco Frei Jorge de Oliveira, que presidiu a Missa, concelebrada pelo cônego Cláudio dos Santos, coordenador arquidiocesano de pastoral, padre Aldo de Souto Santos,  Vigário Episcopal do Vicariato Norte e o padre Francisco Maria Cavalcante, reitor da Basílica Santuário de Nazaré, em Belém. Na ocasião foi apresentado o cartaz da festa do Círio, na Tijuca, no dia 10 de outubro.

">
10 de setembro de 2021

Rio recebe pela 12ª vez a imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré

O mini Círio de Nazaré na Tijuca será realizado no dia 10 de outubro, como todo ano simultaneamente ao grande Círio de Nazaré, em Belém

Frei Jorge recebe a imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré conduzida pelo reitor da Basílica Santuário de Nazaré, padre Francisco Maria Cavalcante. (Fotos: Alerrandro Teófilo)

Emilton Rocha

A imagem peregrina da Rainha da Amazônia esteve, de 5 a 8 de setembro, em visita à Arquidiocese do Rio Janeiro. Este foi o 12º Círio de Nazaré que a terras cariocas, cujo começo deu-se em 2009, ano em que Dom Orani João Tempesta iniciou seu ministério episcopal à frente da arquidiocese.

Juntamente com paróquias e capelas dedicadas a Nossa Senhora de Nazaré, o Santuário de São Sebastião, na Tijuca, mantém uma forte tradição no âmbito desta devoção, com a realização anual de um mini Círio. Para Frei Jorge de Oliveira, reitor e pároco do Santuário, Dom Orani Tempesta, Cardeal Arcebispo do Rio, dinamizou a proposta do Círio a partir de sua chegada ao Rio de Janeiro.

– Os frades capuchinhos no Rio, na sua dinâmica pastoral, realiza, há mais 50 anos, um mini Círio dentro dos moldes do que acontece em Belém do Pará, que é o grande Círio de Nazaré. A devoção surgiu e se mantém devido ao grande número de fiéis vindos da região Norte. Com a vinda de Dom Orani para o Rio, a proposta do Círio foi dinamizada, por ser ele um grande incentivador. De forma alegre e carinhosa, ele participa de tudo. É o bom pastor que sempre está no meio do povo”, disse.

Em 2020, não houve a visita da imagem peregrina ao Rio, por conta da pandemia da Covid-19, como também não foi realizado de forma presencial o tradicional Círio em Belém do Pará, o primeiro não ocorrido nos seus 228 anos de história.

Frei Jorge e padre Francisco Cavalcante apresentam o cartaz do mini Círio na Tijuca, dia 10 de outubro.

Neste ano de 2021, que tem como tema: “O Evangelho da família na Casa de Maria”, segundo informou o coordenador arquidiocesano de pastoral, cônego Cláudio dos Santos, a imagem peregrinou nos locais de costume, mas com algumas alterações. O cônego e o padre Francisco Maria Cavalcante, reitor da Basílica Santuário de Nazaré, em Belém, conduziram a imagem à Igreja dos Capuchinhos, como é mais conhecido o Santuário Basílica de São Sebastião. A Missa foi presidida por Frei Jorge, concelebrada pelo cônego Cláudio dos Santos, padre Aldo de Souto Santos, Vigário Episcopal do Vicariato Norte,  e o padre Francisco Maria Cavalcante.

Apesar da pandemia, que limita o número de fiéis nas igrejas e em outros locais públicos, a recepção da imagem foi bastante alegre e expressiva no Santuário, seguida de missa presidida por Frei Jorge e transmitida ao vivo pelos canais digitais da igreja. Ao final, foi apresentado o novo cartaz da festa do Círio para o dia 10 de outubro no Santuário.

GALERIA DE FOTOS

 

clear