Poucos santos católicos possuem tanta relevância nos dias de hoje como São Francisco de Assis (1182 – 1126).  Seu carisma, vida simples e frugal, o amor à natureza, continua inspirando o imaginário coletivo, mesmo séculos após sua morte. E que também inspirou o nome do atual papa, Francisco I. Agora, pela primeira vez, uma importante exposição dedicada ao santo poderá ser vista, a partir de 6 de novembro, no Museu Nacional de Belas Artes/Ibram/MinC do Rio de Janeiro.

“São Francisco na Arte de Mestres Italianos” traz 20 obras da Itália e uma de Nova York para apresentar ao público brasileiro as alterações e permanências na representação do santo ao longo dos séculos.

Trata-se de uma oportunidade única de ver pinturas extremamente valiosas, de autores reconhecidos em todo mundo, como Perugino, Guido Reni e Tiziano.">
6 de novembro de 2018

Exposição sobre São Francisco traz obras da Itália e de Nova York para apresentar ao público brasileiro

Trata-se de uma oportunidade única de ver pinturas extremamente valiosas de autores  como Perugino, Guido Reni e Tiziano

sfco1Poucos santos católicos possuem tanta relevância nos dias de hoje como São Francisco de Assis (1182 – 1126).  Seu carisma, vida simples e frugal, o amor à natureza, continua inspirando o imaginário coletivo, mesmo séculos após sua morte. E que também inspirou o nome do atual papa, Francisco I.

Agora, pela primeira vez, uma importante exposição dedicada ao santo poderá ser vista, a partir de 6 de novembro, no Museu Nacional de Belas Artes/Ibram/MinC do Rio de Janeiro.

“São Francisco na Arte de Mestres Italianos” traz 20 obras da Itália e uma de Nova York para apresentar ao público brasileiro as alterações e permanências na representação do santo ao longo dos séculos. Trata-se de uma oportunidade única de ver pinturas extremamente valiosas, de autores reconhecidos em todo mundo, como Perugino, Guido Reni e Tiziano.

Nova Imagem

Com curadoria do especialista em História da Arte, Giovanni Morello – que idealizou e curou diversas exposições de arte antiga na Itália, no Vaticano, além de outros países e integra a comissão permanente de tutela dos monumentos históricos e artísticos da Santa Sé – e do professor Stefano Papetti, diretor da Pinacoteca Civica di Ascoli Piceno, a mostra apresenta as fases mais relevantes da representação de São Francisco por meio de obras que se integraram à cultura local de toda uma época e que ainda encontram espaço na cultura ocidental por seus valores artístico, histórico e simbólico.

sfco2

A mostra é resultado da colaboração efetiva das instituições brasileiras e italianas para a promoção da arte e da cultura e o estreitamento das relações entre os dois países, numa realização conjunta da Casa Fiat de Cultura e do Museu Nacional de Belas Artes, com patrocínio da Fiat.

Entre as obras, o público conhecerá os quadros “San Francesco riceve le stimmate” (1570), de Tiziano Vecellio, “San Francesco sorretto da un Angelo” (primeira metade do séc. XVII), de Orazio Gentileschi, “San Francesco d’Assisisi e quattro disciplinati” (1499), de Perugino, e “San Francesco confortato da un angelo musicante” (1607-1608), de Guido Reni, que também pintou a Bandeira de Procissão “Francesco riceve le stimmate (frente); San Francesco predica ai confratelli (verso)” (séc. XVII), e “San Francesco riceve le stimmate” (1633), de Guercino. A exposição traz acervos de 15 museus de 7 cidades italianas: Galleria Corsini, Palazzo Barberini, Musei Capitolini, Museo di Roma, Museo Francescano dell’Istituto Storico dei Cappuccini (Roma); Pinacoteca Civica, Sacrestia della chiesa di San Francesco, Convento Cappuccini (Ascoli Piceno); Museo Nazionale d’Abruzzo (L’Aquila), Galleria Nazionale dell’Umbria (Perugia); Istituto Campana per l’Istruzione permanente (Osimo); Museo Civico (Rieti), Pinacoteca Nazionale (Bolonha) e Duomo di Novara (Novara). A mostra conta ainda com uma importante obra de Ludovico Cardi (dito Il Cigoli), “St. Francis Contemplating a Skull”, propriedade do colecionador e ator americano Federico Castelluccio. O quadro virá de Nova York para integrar a exposição do Rio de Janeiro.

Proporcionando uma experiência imersiva e única, a mostra também inclui uma sala de Realidade Virtual que vai transportar o visitante para a Basílica Superior de Assis (1228), cidade natal do santo na região da Úmbria, no centro da Itália, com o uso de óculos de tecnologia 3D.  Será possível caminhar por uma das mais importantes e belas basílicas do país e conhecer obras-primas do pintor italiano Giotto (1267-1337), artista símbolo dos períodos medieval e pré-renascentista.

Para diretora do MNBA, Monica Xexéo, “a exposição vai possibilitar a fruição de obras de arte que nunca estiveram antes no Brasil, tesouros culturais da humanidade, e assim contribuir para a democratização e o acesso à cultura”.

Promovida e patrocinada pela Embaixada da Itália, pelo Consulado Geral da Itália no Rio de Janeiro e pelo Instituto Italiano de Cultura do Rio de Janeiro, a exposição será uma oportunidade ímpar do público ter acesso a obras inéditas no Brasil, provenientes de museus cívicos, provinciais e regionais da Itália. “É um imenso prazer oferecer ao público brasileiro essa exposição que traz para o Brasil parte considerável do tesouro da arte e da história italiana nas obras exemplares de autores como Tiziano, Perugino, Guido Reni, Guercino. Surpreende a extraordinária modernidade de Francisco, pela sua mensagem de vida e amor pela natureza em todas as suas formas”, diz o Embaixador da Itália em Brasília, Antonio Bernardini. “É motivo de grande orgulho para nós contribuir para essa iniciativa assim notável” – comenta o Cônsul Geral da Itália no Rio de Janeiro, Paolo Miraglia del Giudice – “A exposição representa um momento importante para divulgar o imenso patrimônio artístico e cultural preservado nos museus cívicos, provinciais e regionais, da Itália”.

A mostra traz ao Brasil uma parte da Itália, incentivando o público a se aprofundar e conhecer mais sobre o país e o rico patrimônio artístico e cultural que possui. Antes de chegar ao MNBA, a exposição passou pela Casa Fiat, em Belo Horizonte(MG).

A exposição “São Francisco na Arte de Mestres Italianos” é produzida pela Base7 e contou com o aporte do Instituto Italiano de Cultura de Rio de Janeiro e iniciativa da diretora do MNBA, Monica Xexéo.

Serviço:

Exposição “São Francisco na arte de mestres Italianos”, no MNBA.

Período: 6 de novembro de 2018 até 27 de janeiro de 2019

Visitação: de terça a sexta, das 10h às 18h; e aos sábados, domingos e feriados, das 13h às 18h.

Ingressos: R$ 8,00 inteira, R$ 4,00 meia e ingresso família (para até 4 membros de uma mesma família) a R$ 8,00. Grátis aos domingos.

Museu Nacional de Belas Artes:  Avenida Rio Branco, 199 – Cinelândia

Tel: (21) 3299-0600.

___________________

Fonte: Museu Nacional de Belas Artes

clear