Na noite de quarta-feira, 9 de dezembro, o ministro provincial, Frei Arles de Jesus, abriu a Assembleia Provincial Extraordinária que celebra o 40º aniversário da Província Nossa Senhora dos Anjos, com discurso, cânticos e orações. Durante 3 dias (9, 10 e 11), os frades cumprirão uma pauta onde estão incluídos temas como “Memória Histórica da Província” e “Província: momento atual e perspectivas para o futuro”, entre outros.

">
10 de dezembro de 2020

Capuchinhos celebram 40 anos de fundação da Província Nossa Senhora dos Anjos debatendo presente e futuro

Missa em Ação de Graças e a ordenação presbiteral de dois diáconos no dia 11 de dezembro estão entre a programação

DSC_5499

Frei Arles de Jesus abre a Assembleia Extraordinária com duração de três dias.

Emilton Rocha *

Na noite de quarta-feira, 9 de dezembro, o ministro provincial, Frei Arles de Jesus, abriu uma Assembleia Extraordinária como parte das comemorações do 40º aniversário da Província Nossa Senhora dos Anjos – Rio de Janeiro, Espírito Santo e Leste de Minas Gerais –, em que teve discurso, cânticos e orações. Durante 3 dias (9, 10 e 11), os frades irão cumprir uma pauta onde estarão revendo acontecimentos dessas quatro décadas; sua história; frades que marcaram presença e debater temas como “Memória Histórica da Província” e “Província: momento atual e perspectivas para o futuro”, entre outros. O encontro é regido por um rigoroso protocolo de segurança exigido neste tempo de pandemia. O encerramento será nesta sexta-feira, às 16h, quando Frei André Nascimento de Jesus e Frei Michel Padilha dos Santos serão ordenados sacerdotes.

Província Nossa Senhora dos Anjos

DSC_5306

O Definidor geral para a América Latina, Frei José Carlos Corrêa Pedroso (em pé) e o Ministro geral da Ordem, Frei Pascoal Rywalski em assembleia. / Foto: Arquivo Capuchinhos

A Província Nossa Senhora dos Anjos, que abrange os estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo e o Leste de Minas Gerais está completando quarenta anos de instalação oficial. Para festejar essas quatro décadas, os frades capuchinhos irão celebrar uma Missa Solene no dia 11 de dezembro, às 16h, no Santuário Basílica de São Sebastião, na Tijuca (RJ), ocasião em que será realizada a ordenação presbiteral de Frei André Nascimento de Jesus e Michel Padilha dos Santos.

Com o nome de “Nossa Senhora dos Anjos”, patrona da Ordem dos Franciscanos, a província foi criada no dia 22 de abril de 1980, por meio de decreto do então Ministro geral da Ordem, Frei Pascoal Rywalski. No que diz respeito ao território, o decreto estabelecia o seguinte limite: Estado do Rio de Janeiro, Estado do Espírito Santo e as três fraternidades situadas no Estado de Minas Gerais (Itambacuri, Conceição do Mato Dentro e Mantena).

A solenidade de inauguração foi realizada na Assembleia Provincial, realizada entre os dias 11 e 13 de dezembro de 1980, na Fraternidade São Sebastião (Rio de Janeiro), sob a presidência de Frei Pascoal, com a presença do Definidor geral para a América Latina, Frei José Carlos Corrêa Pedroso, bispos (especialmente da Ordem) e ministros provinciais da Itália e do Brasil. Durante a assembleia, tratou-se do Estatuto da Província e do Diretório do Capítulo, aprofundando-se ainda no estudo dos planos de Formação, de Pastoral e de Administração.

No lugar de Frei Antônio Elizeu Zuqueto, nomeado Bispo Auxiliar de Teófilo Otoni (MG) em março de 1980, Frei César João Broetto assumiu o governo da Província. Frei Sisto Veca retornou à Província de Siracusa (Itália) onde seria eleito Ministro Provincial por triênios consecutivos.

O primeiro Governo Provincial foi constituído pelos seguintes irmãos: Frei César João Broetto (Ministro Provincial), Frei Jayr Antônio Sylvestre (Vigário Provincial); Frei Vital André Ronconi, Frei Agostinho Ramiro Francisco e Frei Laudelino Geraldo de Oliveira (Definidores provinciais). Com especial licença, a Província celebrou, imediatamente, o seu primeiro Capítulo Provincial, aberto por Frei Pascoal, e presidido por Frei José Carlos Corrêa Pedroso. Itens aprovados nesse Capítulo: continuar com o Educandário São Francisco de Assis, dar apoio ao Seminário de Santa Teresa, exigir relatório trimestral das paróquias administradas pela Província, difundir o BICI (órgão de comunicação da Cúria geral para toda a Ordem), aumentar o entrosamento com a Igreja local e, por fim, dar maior atenção ao serviço de documentação histórica referente à Província.

DSC_5304

Momento de oração da assembleia de 1980. / Foto: Arquivo Capuchinhos

A nova Província, na sua proclamação, nasceu com sete fraternidades: Fraternidade São Sebastião (Rio de Janeiro–Niterói–São Gonçalo), São Francisco de Assis (Santa Teresa-Jacaraípe), Nossa Senhora dos Anjos (Itambacuri, MG), Santo Antônio (Mantena, MG), Bom Jesus (Conceição do Mato Dentro, MG), Beato Leopoldo Mandic (Teresópolis, RJ) e Nossa Senhora Aparecida (Petrópolis, RJ). Administrava nove paróquias: São Sebastião (Rio de Janeiro), Nossa Senhora das Graças (São Gonçalo), Coração Eucarístico de Jesus (Niterói-RJ), Nossa Senhora dos Anjos (Itambacuri, MG), Nossa Senhora da Conceição (Conceição do Mato Dentro), Santo Antônio de Pádua (Mantena, MG) e Setor Paroquial São Pedro Apóstolo (Jacaraípe/Serra-ES). Quatro casas de formação: Aspirantado (Santa Teresa, ES), Postulantado (Itambacuri, MG), Noviciado (Teresópolis, RJ) e Pós-Noviciado (Petrópolis, RJ). No decorrer do tempo somou 10 fraternidades, 47 frades, 3 noviços, 6 postulantes, 10 estudantes de Filosofia/Teologia e um frade a serviço da Nunciatura Apostólica residindo em Brasília-DF.

Nesses quarenta anos, a Província Nossa Senhora realizou 14 Capítulos Provinciais. Foram eleitos ministros provinciais os seguintes frades: Frei César João Broetto (1980 a 1983), Frei Dimas de Castro Neves (1983 a 1986), Frei Jayr Antônio Sylvestre (1986 a 1992), Frei João Carlos de Araújo (1992 a 1995), Frei Júlio Cézar Borges do Amaral (1995 a 1998), Frei Luiz Carlos Siqueira (1998 a 2001), Frei João Carlos de Araújo (2001 a 2007), Frei Jorge Luiz de Oliveira (2007 a 2013), Frei Luiz Carlos Siqueira (2013 a 2019) e Frei Arles Dias de Jesus, atual ministro, eleito em 2019.

Os integrantes do atual Governo da Província Nossa Senhora dos Anjos são Frei Arles Dias de Jesus, Ministro Provincial; Frei Luiz Fernando T. Duarte, Vigário Provincial; Frei José Wiliam Corrêa de Araújo, 2º Conselheiro Provincial; Frei Arineu Mozer Macedo, 3º Conselheiro Provincial; e Frei Edcarlos Hoffman, 4º Conselheiro Provincial.

Frei Jorge de Oliveira, Reitor e Pároco do Santuário Basílica de São Sebastião: agradecimento a Deus Pai Misericordioso

“Agradecemos a Deus pelos 40 anos da Província Nossa Senhora dos Anjos do Rio de Janeiro, Espírito Santo e Leste de Minas Gerais. Esse é o sentimento que invade os frades capuchinhos de nossa amada Província pela caminhada percorrida nos seus 40 anos de existência. Assim louvamos e agradecemos a Deus Pai Misericordioso, por essa obra de amor e acolhimento aos irmãos que se dedicaram e se dedicam ao serviço dos pequenos, na pregação e vivência fraternal da pobreza, obediência e castidade. Agradecemos a todas as pessoas que estiveram conosco nesse caminhar, a Província mãe de Siracusa, a CCB – Conferência dos Capuchinho do Brasil, os benfeitores cujos nomes estão no coração de Deus,  a Igreja e a Ordem que nos acolhe. É a cada irmão e irmã que compartilharam conosco tantas vivências, sonhos e realizações o nosso agradecimento. Por tudo o que fora vivido, e pelo futuro.que se descortina, somos gratos a Deus.”

Frei Arles Dias de Jesus, Ministro Provincial: “Encorajando as fraternidades”

Como consequência da emergência de saúde provocada pela pandemia de Covid-19, a Igreja mobilizou todas as suas dimensões, materiais e espirituais, sem esquecer os mais pobres e vulneráveis, numa grande corrida de solidariedade e atendimento. Para Frei Arles Dias de Jesus, Ministro Provincial, governar a província nesse período de pandemia teve como maior propósito estar presente em todas as fraternidades, levando aos confrades apoio e solidariedade. “Dentro do espírito capuchinho e seguindo os passos do poverello de Assis, estive presente animando e encorajando as fraternidades a darem o apoio necessários  às suas paróquias e a todos que nos procuram; seguindo as normas exigidas pela OMS e os decretos dos governos de cada estados e municípios e dentro do que lhes era permitido em cada momento, segundo as necessidades e respeitando seus limites em cada região” – revela. “Nesse período de pandemia”, diz, “somos chamados a redobrar o cuidado com o outro e, principalmente, o cuidado com os irmãos de nossas fraternidades”.

* Com informações de Frei Reinaldo Ávila de Moura

clear