21 de outubro de 2019

Missa Solene celebrará o 4º aniversário da Basílica no dia 3 de novembro

Cerimônia também inclui posse do novo pároco Frei Jorge Luiz de Oliveira que tomará posse como novo pároco

DSC_9089a_site_2

Cerimônia de elevação à Basílica, em 2015. / Foto: Pascom

Por Emilton Rocha / Pascom

No próximo dia 3 de novembro, às 11h30, o Santuário Basílica de São Sebastião, ainda conhecido como Igreja dos Capuchinhos, estará comemorando o quarto aniversário de elevação à condição de Basílica Menor. Nessa data, dia da Solenidade de Todos os Santos, transferida do dia 1º para domingo, 3, o Cardeal Orani Tempesta irá presidir Missa Solene às 11h30.

Durante as missas do dia – 7h, 8h30, 11h30, 18h e 19h30 – os fiéis poderão obter as indulgências plenárias. “Indulgência é a remissão, diante de Deus, da pena temporal devida aos pecados já perdoados quanto à culpa, que o fiel, devidamente disposto e em certas e determinadas condições, alcança por meio da Igreja a qual, como dispensadora da redenção, distribui e aplica com autoridade o tesouro das satisfações de Cristo e dos Santos” (Norma 1 do Manual das Indulgências).

Em 2015 o Vaticano elevou o Santuário de São Sebastião dos Capuchinhos, na Tijuca, à condição de Basílica Menor, título que também foi uma homenagem pelos 450 anos da fundação da Cidade do Rio de Janeiro. A partir de então o templo passou a ter um vínculo maior com o Papa Francisco. A carta anunciando a novidade, enviada ao arcebispo do Rio, cardeal dom Orani Tempesta, foi assinada no dia 17 de julho daquele ano pelo cardeal Robert Sarah, presidente da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos.

A elevação a basílica acontece quando há o reconhecimento da importância da igreja para o povo, a veneração que lhe devotam os cristãos, a transcendência histórica e a beleza artística da arquitetura e da decoração. À época, em um trecho da carta, o presidente da congregação disse que “A concessão deste título a esta importante Igreja, intensificando o vínculo particular com a Igreja de Roma e com o Santo Padre, quer promover a sua exemplaridade como verdadeiro centro de ação litúrgica e pastoral na Diocese”.

O Santuário Basílica de São Sebastião, no Rio de Janeiro, é administrado pelos Frades Capuchinhos, e foi declarado Santuário Arquidiocesano em 2015, durante as comemorações pelo dia do padroeiro, em 20 de janeiro. A solicitação de reconhecimento foi uma iniciativa de frei Arles Dias de Jesus. À época, ele reuniu documentos e enviou o processo para o Vaticano em 1º de março daquele ano, data em que a cidade comemorava 450 anos.

A resposta chegou rápida e pegou o frade capuchinho de surpresa, conforme ele disse ao O Globo à época: “Juntei fotos, decreto de tombamento cultural e as cartas do presidente da Conferência Nacional de Bispos do Brasil, do arcebispo do Rio e da Ordem dos Capuchinhos, e enviei. Não esperava um retorno positivo tão rápido.” A celebração foi realizada no dia 1° de novembro de 2015, dia de Todos os Santos e data da última missa realizada na igreja do morro do Castelo, em 1921, antes de ela ser transferida para a Tijuca.

O Santuário recebeu então dois elementos que o identificam como basílica: o Tintinábulo, que é um emblema que a Santa Sé concede às igrejas com o título honorífico concedido pelo Papa, e que consiste num pequeno sino que figura na procissão do Corpus Christi e outras solenidades; e a Umbela Basilical, uma peça histórica dos papas, que já foi usada diariamente para fornecer sombra ao Sumo Pontífice.

O Santuário Basílica de São Sebastião, no Rio de Janeiro, é administrado pelos Frades Capuchinhos, e foi declarado Santuário Arquidiocesano em 2015, durante as comemorações pelo dia do padroeiro, em 20 de janeiro. O templo possui especial valor afetivo para os cariocas (conforme o decreto municipal), pois possui a guarda de três símbolos importantes para a cidade: o marco de fundação, os restos mortais do fundador da cidade, Estácio de Sá, e a imagem histórica de São Sebastião, padroeiro da Cidade do Rio de Janeiro, que foi trazida por ele.

POSSE DO NOVO PÁROCO, FREI JORGE DE OLIVEIRA

frei jorge capa

Frei Jorge de Oliveira, novo pároco

No mesmo dia em que a Basílica estará festejando seu quarto aniversário, será celebrada a posse do novo pároco, Frei Jorge Luiz de Oliveira, substituindo Frei Arles Dias de Jesus, eleito Ministro Provincial da Província Nossa Senhora dos Anjos, que abrange os estados do Espírito Santo, Rio de Janeiro e Leste de Minas.

Nomeado pelo Conselho Provincial após indicação de Frei Arles, Frei Jorge atualmente é pároco da fraternidade de São Serafim Montenegraro, bairro Santa Cruz da Serra, em Duque de Caxias (RJ), e virá ao Rio de Janeiro para tomar posse marcada para o dia 3 de novembro.

clear