24 de setembro de 2014

A vida de São Sebastião

DSC_6042aaaaa

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Conheça mais sobre a vida do Padroeiro da Cidade do Rio de Janeiro

Muitos são os devotos se SÃO SEBASTIÃO no Brasil. Multidões o aclamam e o veneram no dia 20 de janeiro (dedicado em sua homenagem). Porém, poucos conhecem de fato a sua verdadeira história. Responda as perguntas a seguir: 

1.     Quando e onde nasceu São Sebastião? 

2.     Qual era sua profissão? 

3.     Por qual motivo foi flechado? 

4.     Que lição de vida deixou para todos nós? 

      Se você não sabe as respostas a estas perguntas, então nos acompanhem nesta empolgante viagem ao passado, e conheça um pouco mais sobre esta importante figura chamada SÃO SEBASTIÃO. 

      SÃO SEBASTIÃO nasceu em Narbonna em 250 d.C. em Roma. Era um valente soldado, tendo ingressado no exército com cerca de 19 anos de idade. Sua fama de bom soldado era tamanha que tornou-se estimado pelos imperadores Diocleciano e Maximiano; tanto que confiaram o comando do primeiro exército pretoriano a ele. Era sem dúvida nenhuma um soldado exemplar! 

      Mas se era tão querido e exemplar, então porque o mataram? 

      Sebastião vivia num tempo em que era proibido confessar que era seguidor de Jesus. Os soldados prendiam sem dó nem piedade os cristãos. 

      Acontece que Sebastião era um cristão, e o imperador não sabia disso. E Sebastião ajudou tanto aos demais cristãos que foi conhecido depois como o DEFENSOR DA IGREJA. A atuação de Sebastião nesse sentido consistia, principalmente, em confortar aos cristãos que eram perseguidos, e especialmente aos que padeciam no martírio. Até mesmo pessoas em altos postos do sistema carcerário romano se converteram à fé em Jesus por meio do seu testemunho. 

      Então, Sebastião foi denunciado ao imperador Diocleciano que ficou indignado e irado, pois o homem em que pusera sua confiança era um cristão (e cristão de ação!); e o condenou à morte. Levaram-no para um campo aberto, e os arqueiros da Mauritânia o flecharam. Dando-o por morto, abandonaram-no preso a uma árvore. 

      Acontece que, como deus não abandona aos seus servos, Sebastião, por um milagre, resistiu às flechadas e sobreviveu. Não muito depois, foi encontrado por uma piedosa viúva, que cuidou de suas feridas. Após sua recuperação, o valente Sebastião se apresentou ao imperador Diocleciano, censurando-o por sua crueldade e exortando-o a deixar de adorar os falsos deuses, mediante suas imagens de escultura. O imperador ficou estarrecido ao ver em sua presença aquele que cria estar morto. Preso novamente foi açoitado até morrer. 

      Prezado amigo, SÃO SEBASTIÃO é, sem sombra de dúvidas, um exemplo a ser seguido por todos nós. Por Jesus ele viveu e morreu. Muitas pessoas conheceram o amor de Deus, manifestando em Jesus, por intermédio da pregação desse jovem soldado romano. E o que ele tanto desejava era que o imperador e todas as pessoas do mundo abandonassem a idolatria e adorassem somente a Deus. Ele sabia que as imagens usadas na adoração pelo imperador e pelos demais eram contrárias à vontade de Deus. Pois, diz a Bíblia no Salmo 135:15 a 17 > “Os ídolos das nações são preta e ouro, obras de mãos humanas: têm boca, mas não falam; têm olhos, mas não vêem; têm ouvidos, mas não ouvem; não há um sopro sequer em sua boca. Os que os fazem ficam como eles, todos aqueles que neles confiam.” A Bíblia também diz o seguinte sobre as imagens/ídolos: “Eles não podem falar; devem ser carregados, porque não podem caminhar! Não tenhais medo deles, porque não podem fazer o mal e nem o bem tampouco.” (Jeremias 10:5). Por isso, o primeiro Mandamento declara: “Não farás para ti imagens esculpida, nem figura alguma do que há em cima do céu, nem debaixo na terra. Não te encurvarás diante delas, nem as servirás; porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso.” (Êxodo 20:4 e 5). 

      Sim, SÃO SEBASTIÃO viveu uma digna de ser imitada por todo o mundo, inclusive por VOCÊ. Por que você não resolve ser, também, como ele? VOCÊ acha que se SÃO SEBASTIÃO pudesse ver tudo isto que acontece, ele ficaria contente de ver pessoas, hoje, se ajoelhando, fazendo pedidos, beijando ou carregando alguma imagem? VOCÊ acha que ele, conhecendo os mandamentos de Deus, cometeria esses atos de idolatria? PENSE NISSO! 

      O nosso povo vive cheio de crendices e superstições em busca de algo que possa preencher o vazio do seu coração, homens e mulheres sem razão para viver. Desesperados, entregam-se aos prazeres e vícios; ao ocultismo e idolatria. Há somente uma resposta para os anseios e problemas da alma: Jesus , o Salvador, em quem todos os mártires cristãos criam (incluindo Sebastião) e milhões de pessoas hoje crêem, e desfrutam da perfeita paz e alegria que só Jesus pode dar. 

      Abandone o pecado, a superstição, a crendice, a idolatria. Confie no Jesus que venceu a morte e o diabo por você. Ele lhe oferece vida abundante e paz real.  

Extraído do folheto “A VIDA DE SÃO SEBASTIÃO”, distribuído pelo Centro de Pesquisas Religiosas (Caixa Postal 65.120 – CEP: 20072-970 – Rio de Janeiro)

clear