7 de agosto de 2017

Tríduo a Santa Clara começa nesta terça-feira, na Missa das 18h

Da mesma forma que São Francisco, Clara também enfrentou oposição da família, que não aceitava que sua filha abandonasse a vida nobre

Santa-Clara-2

Santa Clara seguiu São Francisco de Assis na decisão de viver uma vida austera e de completa pobreza.

Emilton Rocha, com informações de Ana Paula de Araújo (Info Escola) / Foto: Google

Nesta terça-feira, 8 de agosto, o Santuário Basílica de São Sebastião dará início ao Tríduo a Santa Clara, durante a Missa das 18h. Santa Clara é considerada a Padroeira da Televisão e de seus profissionais, assim como da cidade de Assis, dos cegos, das lavadeiras, dos vidraceiros e dos artistas em vidros. A Missa Solene na Basílica será celebrada sexta-feira, 11 de agosto, dia da Santa, às 18h.

Santa Clara

Batizada pelo nome de Chiara d’Offreducci, na cidade italiana de Assis, Clara nascera aos 16 de Julho de 1194. Segundo o que diz a tradição, sua mãe teria lhe dado este nome devido a uma inspiração que teve, ela acreditava que sua filha viria para iluminar o mundo.

Clara pertencia a uma família nobre e era muito bela. Desde muito nova se mostrava caridosa e respeitava os mais pobres. Ao se deparar com a decisão de São Francisco de Assis em viver uma vida austera e de completa pobreza, Clara foi tomada por uma irresistível decisão de segui-lo na vida religiosa. Da mesma forma que São Francisco, Clara também enfrentou forte oposição da família, que não aceitava que sua filha abandonasse a vida nobre para viver na completa miséria, mas nada a demoveu de seu ideal. No dia 18 de março de 1212, aos dezoito anos de idade, Clara fugiu de casa, decidindo-se radicalmente pela vida religiosa. Apresentou-se, então, na Igreja de Santa Maria dos Anjos, onde se encontrou com São Francisco e seus frades. Ele, então, cortou seus cabelos e pediu que vestisse um hábito de lã e pronunciasse os votos de pobreza, castidade e obediência. Clara foi a primeira mulher a aderir aos ideias franciscanos em sua vida.

Seguindo o conselho de São Franciso, Clara ingressou primeiramente no Mosteiro beneditino de São Paulo das Abadessas, com o objetivo de familiarizar-se com a vida religiosa. Em seguida foi para a Ermida de Santo Ângelo de Panço, onde sua irmã de sangue, Inês, juntou-se a ela. Algum tempo depois Francisco levou-as para o Convento de São Damião, onde seria sediada a Ordem Segunda Franciscana, das monjas. Primeiramente elas seriam chamadas “Damianitas”, e depois, a escolha de Clara, de “Damas Pobres”, e por último, como são chamadas até hoje, “Irmãs Clarissas”.

A decisão de Clara foi tamanha que sua mãe e mais uma de suas irmãs, Beatriz, foram também viver ao seu lado, abandonando seus palácios e suas riquezas.

Por volta de 1224, Clara foi acometida de uma enfermidade e aos poucos foi enfraquecendo. Dois anos depois, em 1226, Francisco viria a morrer, e depois disso Clara viveria ainda 27 anos, continuando a vida que havia aprendido com ele.

No dia 11 de Agosto de 1253, algumas horas antes de morrer, Clara recebeu do Papa Inocêncio IV a bula de aprovação canônica da ordem das irmãs Clarissas. Dois anos após a sua morte foi proclamada santa Clara de Assis, pelo Papa Alexandre IV.

clear