7 de fevereiro de 2018

Quarta-feira de Cinzas: deve-se responder quando o sacerdote impõe a cinza?

“No caso da cinza, ao começar a Quaresma, deve-se responder algo quando o sacerdote ou o ministro nos impõe a cinza?”

8ee0da94-2695-49e0-9436-7733757cc7c5

Frei Arles de Jesus impõe a cinza na testa do Cardeal Orani Tempesta em foto de 2017

Na Missa que se celebra na Quarta-feira de Cinzas, que marca o início da Quaresma, o sacerdote e os ministros que o assistem pronunciam uma fórmula quando impõem as cinzas na testa dos fiéis. Talvez alguém se perguntou se deve responder algo. A seguir, confira a explicação.

Em recente publicação em seu blog pessoal, o Pe. Samuel Bonilla, conhecido como “Padre Sam”, indicou que dentro da Igreja Católica “normalmente cada fórmula tem uma resposta”, por exemplo, assinalou que ao receber a comunhão, o sacerdote diz “o Corpo de Cristo” e o fiel que o recebe diz “Amém”.

“Mas no caso da cinza, ao começar a Quaresma, deve-se responder algo quando o sacerdote ou o ministro nos impõe a cinza?”, perguntou o Pe. Sam.

O sacerdote hondurenho explicou que depois de revisar as instruções do rito da Missa de Quarta-feira de Cinzas no Missal Romano, encontrou o seguinte:

“Em seguida, o sacerdote impõe as cinzas a todos os presentes que se aproximam dele, dizendo a cada um: ‘Arrependei-vos e acreditai no Evangelho’ (Mc 1,15) ou ‘Lembra-te, homem, que és pó da terra e à terra hás-de voltar’ (Gen 3,19)”.

Nesse documento, explicou o Pe. Sam, “não indica nenhuma resposta. O que nos leva a concluir que não se responde nada, porque se houvesse resposta, seria especificada”.

“Portanto, quando o sacerdote ou ministro impõem a cinza na testa ou na cabeça, o fiel deve retirar-se em silêncio, meditando a frase/convite que lhe foi feita”, concluiu.

______________

Por ACI Digital / Foto: Angela Zolhof

clear