1 de novembro de 2017

Missas de Finados nos cemitérios do Rio

Frei Arles estará celebrando missa no Cemitério do Catumbi, às 14h

Finados_23102015142231Por Priscila Xavier / ArquiRio

A partir da morte de Jesus Cristo na cruz, para a remissão dos pecados, e de Sua ressurreição nasce uma nova relação entre a vida e a morte: o dom da Páscoa, quando essa mesma vida passa a ser eterna e plena em Deus. Esse é o sentido da Comemoração dos Fiéis Defuntos no dia 2 de novembro. Nessa data, a Igreja convida os cristãos a experimentar essa nova relação. Do contrário, a celebração resume-se apenas em lembranças, tristeza e saudade.

O assistente eclesiástico do Ministério da Consolação e Esperança, padre Pedro Paulo Alves dos Santos, destacou duas reflexões para a data. “A celebração de Finados será um dia para refletirmos como a morte tem tido possibilidades que não deveria ter, além do fato de não vivenciarmos uma cultura da vida no Rio de Janeiro. Em nossa cidade, a morte ganhou amplos poderes, seja pela ausência de um sistema de segurança ou pela própria violência humana; há um surto de violência em nossa sociedade. Portanto, o número de óbitos tem subido de forma alarmante”, frisou.

Ainda segundo o sacerdote, os altos índices de criminalidade, dos quais muitos se tornam vítimas, têm dificultado a compreensão do real sentido da morte. “A morte em si, para nós, é um desafio. Quando ela é fruto de um assassinato, latrocínio, agressões contra as mulheres e demais violências mortíferas, as quais temos assistido no palco contemporâneo, obviamente, torna-se um obstáculo para que percebamos algo que ela possa dizer sobre a vida. Em nossa cidade, parece que a morte é somente cruel”, pontuou.

Consolação e Esperança

Na data dedicada aos fiéis defuntos, as muitas dores se misturam. São famílias que perderam seus entes queridos das mais diversas formas e que, nos instantes dentro do cemitério, tentam aprender a conviver, ou ao menos diminuir a dor e a saudade.

Para ajudar nessa difícil e delicada missão, a Igreja do Rio conta com o Ministério da Consolação e Esperança, formado por cristãos leigos que se dividem entre os 18 cemitérios do Rio de Janeiro, diariamente, com o intuito de confortar e levar uma mensagem de esperança aos familiares.

“Esse é o rosto concreto da Igreja junto aos que sofrem. Pois, num cemitério, dentro de uma realidade imensa de religiões e expectativas culturais, há também dores diferentes. Diante de todos esses rostos, da tristeza, da dor e, até mesmo, do desespero, está presente a Igreja com uma oração, afirmando que a morte não tem a última palavra, pois, pela ressurreição de Cristo, todos têm a graça da vida eterna”, completou padre Pedro Paulo.

Campanha Arquidiocesana de Coleta em Benefício ao Seminário de São José

A coleta das missas celebradas no Dia de Finados será doada ao Seminário Arquidiocesano de São José para colaborar com a instituição na formação de novos sacerdotes, além de promover as vocações.

O reitor do seminário, cônego Leandro Câmara, destacou a importância da campanha anual, instituída pelo Cardeal Orani há cinco anos. “As coletas são de suma importância para ajudar ao seminário nas despesas com a formação dos seminaristas. Esta é uma atitude concreta de ajuda na promoção e manutenção da causa vocacional, sendo, também, uma oportuna ocasião para que todos nos sensibilizemos com aqueles que irão nos ajudar no futuro”, pontuou.

Ainda de acordo com o reitor, a mobilização teve início a partir dos párocos que, junto aos fiéis de suas comunidades paroquiais, diante de um período de grandes necessidades no seminário, passaram e continuam a enviar mantimentos para a alimentação dos seminaristas. “Esta ajuda financeira é mais uma forma de colaborar com outras necessidades do seminário”, acrescentou cônego Leandro.

Neste ano, o reitor espera contar ainda mais com a generosidade dos fiéis, haja vista os próximos passos da instituição. “Nosso povo e nossos padres são muito generosos e, graças a esse dom, contamos ainda mais com o apoio de todos para ampliarmos as instalações do seminário, com o objetivo de acolher novas vocações. Em tempos complexos, ter um seminário cheio, sem espaço, é um belo sinal de esperança”, finalizou.

Atualmente, o Seminário Arquidiocesano de São José acolhe 209 seminaristas, incluindo aqueles que estão nos seminários Menor, Propedêutico e Maior. Desse total, 28 são de outras dioceses do Brasil. Para o próximo ano, a expectativa é de que a instituição acolha 250 seminaristas. Por isso há a necessidade de ampliar as instalações para atender a um número cada vez maior de vocacionados.

Programação nos cemitérios da cidade

Durante o Dia de Finados, os cemitérios da cidade, distribuídos pelos oito vicariatos da Arquidiocese do Rio, ficarão abertos para visitação. Neles, também haverá a celebração da santa missa presidida pelos bispos, párocos e demais sacerdotes em diversos horários, além da presença de agentes pastorais disponíveis para ouvir e dar uma palavra de esperança aos que dela necessitarem.

Vicariato Urbano

Cemitério São Francisco da Penitência – Caju

8h – Cardeal Orani João Tempesta (inauguração do crematório)

Ossuário da Catedral de São Sebastião – Centro

10h – Cardeal Orani João Tempesta

Cemitério São Francisco Xavier – Caju

8h – Dom Assis Lopes

9h – Padre Edmar Augusto

10h – Padre Francisco Carlos Almeida dos Santos

11h – Padre Gilmar Souza da Silva

12h – Frei Edielson da Cunha

12h – Missa pelos sacerdotes falecidos presidida pelo cônego Luis Carlos Vital, na Quadra da Irmandade de São Pedro

13h – Padre Gleuson Gonçalves

14h – Padre Carlos Porto Nogueira

15h – Padre Jaílson Dias

16h – Dom Luiz Henrique da Silva Brito

Cemitério da Ordem do Carmo – Caju

10h – Padre José Laudares

Cemitério Santo Antônio – Paquetá

9h e 16h – Padre Nixon Bezerra

Vicariato Leopoldina

Cemitério da Cacuia – Ilha do Governador

8h – Paróquia Nossa Senhora do Loreto

9h – Paróquia Sagrada Família

10h – Paróquia São José Operário

11h – Dom Roberto Lopes e Paróquia São Sebastião

14h – Paróquia Nossa Senhora da Ajuda

15h30 – Paróquia Nossa Senhora Aparecida

17h – Paróquia Santo Antônio

Vicariato Norte

Cemitério São Francisco de Paula – Catumbi

8h – Padre Marcos Antônio Queiroz

9h – Padre Frei Emerson Santos

10h – Dom Antônio Augusto Dias Duarte

11h – Cônego Leandro Câmara

12h – Padre Frei Ronan Siqueira de Almeida

13h – Recitação do Terço

14h – Padre Frei Arles Dias de Jesus

15h – Padre Willian Moreira

16h – Padre Júlio César Melo

17h – Padre Aldo de Souto Santos

Vicariato Suburbano

Cemitério de Inhaúma

8h – Paróquia Nossa Senhora de Fátima

9h – Paróquia Nossa Senhora do Rosário

10h – Paróquia São Vicente de Paulo

11h – Dom Luiz Henrique da Silva Brito

12h – Paróquia Nossa Senhora das Dores

14h – Paróquia São Benedito

15h – Paróquia Nossa Senhora Aparecida

Cemitério de Irajá

8h – Paróquia São Miguel Arcanjo

9h – Paróquia Santa Rita de Cássia

10h – Paróquia Nossa Senhora do Carmo

11h – Paróquia Nossa Senhora do Divino Amor

12h – Paróquia São Luiz Gonzaga

13h e 14h – Paróquia Santa Bárbara

15h – Paróquia São Vicente de Paulo

16h – Dom Juarez Delorto Secco

17h – Paróquia Nossa Senhora da Apresentação

Cemitério Jardim da Saudade – Sulacap

8h – Dom Joel Portella Amado

10h e 17h – Paróquia Nossa Senhora da Assunção

Cemitério de Ricardo de Albuquerque

8h – Paróquia Nossa Senhora de Nazaré

9h – Paróquia Nossa Senhora de Guadalupe

10h – Paróquia Nossa Senhora do Rosário de Pompeia

11h – Paróquia São Francisco de Assis

12h – Terço dos Homens presidido pelos diáconos

13h – Paróquia Jesus Bom Pastor

14h e 15h – Segunda Forania

16h – Paróquia Nossa Senhora das Dores e São Judas Tadeu

Vicariato Oeste

Cemitério do Murundu – Realengo

8h – Padre Felipe Lima

10h – Padre Luiz Cláudio Baraúna

12h – Padre Adriano José Gomes Divino

14h – Padre Antônio Adonias

16h30 – Dom Edney Gouvêa Mattoso

Vicariato Santa Cruz

Cemitério de Campo Grande

7h – Padre Luiz Pereira

8h30 – Padre André Luiz Teixeira

10h – Dom Juarez Delorto Secco

11h30 – Padre Adenilson Corrêa

14h – Padre Fábio de Mello

15h30 – Padre Paulo Roberto Teixeira

17h – Cônego Antônio José de Moraes

Cemitério de Santa Cruz

8h – Padre Rodrigo Azevedo

10h – Padre Marcos Andrade

14h – Padre Michel de Souza Bernardo

16h – Cardeal Orani João Tempesta

Cemitério de Guaratiba

8h – Padre Aparecido José

9h – Padre João Custódio

Vicariato de Jacarepaguá

Cemitério do Pechincha

8h – Paróquia Nossa Senhora de Fátima

9h – Paróquia Padre Eterno e São José

10h30 – Dom Roque Costa Souza e Cônego Robert Chrzaszcz

12h – Paróquia Nossa Senhora do Rosário de Fátima e Santo Antônio de Lisboa

14h – Paróquia Santo Antônio Maria Zaccaria

15h – Nossa Senhora de Fátima

16h – Nossa Senhora de Loreto

Cemitério de Piabas – Recreio dos Bandeirantes

8h – Paróquia São Pedro do Mar

Vicariato Sul

Cemitério São João Batista – Botafogo

8h – Paróquia São João Batista

9h – Paróquia Cristo Redentor

10h – Paróquia Nossa Senhora de Copacabana

11h – Paróquia São Paulo Apóstolo

12h – Dom Antonio Augusto Dias Duarte

13h – Paróquia da Ressurreição

14h – Basílica Imaculada Conceição

15h – Paróquia Santa Teresinha

16h – Paróquia São José

17h – Paróquia Nossa Senhora da Glória

Foto: Gustavo de Oliveira / Arquivo

clear