Apesar do tempo chuvoso, centenas de fiéis participaram da Missa da Vigília de Natal, presidida pelo Ministro Provincial, Frei Luiz Carlos Siqueira, e concelebrada por Dom Michele Perrone e padre Antonio, na noite deste domingo, no Santuário Basílica de São Sebastião – Frades Capuchinhos. A solenidade é o ponto alto da comemoração, pelos católicos, do nascimento de Jesus, iniciada há quatro semanas com o Tempo do Advento.

">
25 de dezembro de 2017

Missa da Vigília de Natal levou centenas de fiéis à Basílica de São Sebastião

Este ano, a véspera natalina caiu em um domingo e, por isso, coincidiu com o Quarto Domingo do Advento

IMG_2377 (Copy)

Ministro Provincial, Frei Luiz Carlos Siqueira preside a Missa da Vigília de Natal, concelebrada por Dom Michele Perrone e padre Antonio

Por Emilton Rocha / Pascom

Apesar do tempo chuvoso, centenas de fiéis participaram da Missa da Vigília de Natal, presidida pelo Ministro Provincial, Frei Luiz Carlos Siqueira, e concelebrada por Dom Michele Perrone e padre Antonio, na noite deste domingo, no Santuário Basílica de São Sebastião – Frades Capuchinhos. A solenidade é o ponto alto da comemoração, pelos católicos, do nascimento de Jesus, iniciada há quatro semanas com o Tempo do Advento. A celebração teve a participação do Coral de São Sebastião, com cerca de 70 vozes, que entoou belas canções tornando ainda mais bela a missa.

Tempo do Advento

De acordo com a Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, o A palavra “advento” tem origem latina e significa “chegada”, “aproximação”, “vinda”. No Ano Litúrgico, o Advento é um tempo de preparação para a segunda maior festa cristã: o Natal do Senhor. Neste tempo, celebramos duas verdades de nossa fé: a primeira vinda (o nascimento de Jesus em Belém) e a segunda vinda de Jesus (a Parusia). Assim, a Igreja comemora a vinda do Filho de Deus entre os homens (aspecto histórico) e vive a alegre expectativa da segunda vinda d’Ele, em poder e glória, em dia e hora desconhecidos (aspecto escatológico).

Ainda conforme a Arquidiocese, este tempo é marcado por uma vivência mais profunda da vida de oração. A leitura orante deste período nos coloca em contato com as profecias de salvação do Antigo Testamento, com a expectativa que os cristãos da Igreja primitiva tinham da Parusia e com os eventos principais que antecederam o nascimento de Jesus. A recordação dos eventos que antecederam a primeira vinda de Cristo se torna a base da preparação da Igreja para o novo Advento do Senhor. A Santa Missa e a Liturgia das Horas são os principais momentos celebrativos. Os exercícios de piedade, como a oração e a meditação dos mistérios gozosos do Rosário, a oração do Angelus Domini e a Novena de Natal podem ser um caminho feliz para a vivência da oração comunitária neste tempo.

A Santa Missa

Carla Torres, 38 anos, participou da celebração com os 3 filhos e marido. Frequentadora da Basílica e católica fervorosa, disse que participa todos os domingos da missa, mas que a época do Natal é muito importante:

- Estarmos hoje aqui, eu e minha família, é para renovarmos a nossa fé e celebrar a alegria de que Deus não nos desampara nunca. Enviar o filho Dele para nos salvar é a grande prova de que Ele não está distante de nós. – disse.

Chamada de Santa Missa de Natal ou Missa da Vigília de Natal, a solenidade, conhecida também como Missa do Galo, recebe este nome porque a crença diz que um galo cantou pela primeira vez à meia-noite para anunciar a chegada de Jesus.

As celebrações de Natal continuam nesta segunda-feira, com missas às 8h30, 11h30 e às 18h. Neste ano, a véspera de Natal caiu em um domingo e, por isso, coincidiu com o Quarto Domingo do Advento. Por isso, nas igrejas católicas, se celebrou pela manhã o Quarto Domingo do Advento e, à noite, se deu de fato a chegada do Natal, com a Missa da Vigília de Natal.

Galeria de fotos

Para ampliar, clique 2 vezes em cada foto

clear