25 de setembro de 2014

Entrevista: Hugo Antunes – Pastoral da Música

DSC_7355asite

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Nossa meta é unir 80 vozes na Missa de Natal”

Às vésperas de completar 24 anos [seu aniversário é no dia 8 de outubro], Hugo Antunes já começa a organizar, juntamente com os seus companheiros de música, os preparativos para intensificar os ensaios do Coral São Sebastião, do qual faz parte desde os 7 anos de idade, para a edição especial de Natal, noite em que pretende reunir um grupo com 80 vozes.

Hugo é um dos coordenadores da Pastoral da Música da Igreja dos Capuchinhos – Eliane Bellinha também coordena o grupo – e é formado em Administração Pública pela Unirio. Exímio instrumentista, com cursos técnicos de piano e violino pelo Conservatório Brasileiro de Música, é na música que ele se realiza.

Segundo ele, “é importante dizer que o nosso trabalho pastoral consiste na evangelização, ou seja, levar Deus através da música. Nossa preocupação é capacitar sempre os integrantes de nossa pastoral para que cada vez mais estejam aptos a evangelizar. Por isso, aqueles que gostam de cantar, tocar algum instrumento ou simplesmente apreciam a música, podem procurar nossa Pastoral ao final de cada missa, ou então na secretaria da Paróquia.”

O coral, que tem uma média de 25 pessoas por missa, pode ser visto e ouvido nas celebrações das 19h:30 aos domingos e em grandes eventos. Já na Missa especial de Natal, esse número chegou a 64 componentes na Missa do Galo do ano passado.

“Nossa igreja possui atualmente uma das melhores estruturas de som e instrumentos, reflexo da crescente preocupação com a melhoria das celebrações para os paroquianos. Por isso, precisamos de você, paroquiano, para unir forças ao nosso trabalho”, convoca Hugo. E completa: “Estamos sempre buscando melhorar e contamos com a sua ajuda! Sintam-se convidados! “A messe é grande e os operários são poucos”.”  

A partir de quando você vai convocar interessados em participar do Coral para a Missa especial de Natal?

A partir do domingo, 23 de novembro, segundo cronograma do projeto. 

Quais os pré-requisitos para quem quiser participar do coral?

Não é necessário ser profissional ou já ter estudado música, como muitos paroquianos pensam. As pessoas que desejarem integrar o coral devem ter disponibilidade e comprometimento em participar dos ensaios.

Como você seleciona as músicas que são tocadas durante as missas semanais e na missa do Natal?

Temos músicas próprias para cada período. Por exemplo, durante os tempos do Advento e Quaresma, temos músicas que nos levam à reflexão dos temas propostos. Quando estamos no Tempo Comum, normalmente temos uma temática para cada mês: agosto é o mês vocacional e as músicas devem tratar das vocações. É muito comum nesse mês ouvir canções como “Eis me aqui, Senhor”, “Um Consagrado para amar”, e “O Senhor me chamou a viver”. Em setembro celebramos o mês da Bíblia, que também possui músicas com essa temática. No Natal, a Arquidiocese do Rio de Janeiro mantém uma postura bastante conservadora, preservando os tradicionais cantos que só ouvimos nesse período. Nossa Paróquia acolhe a orientação musical da Arquidiocese e tradicionalmente executa as obras belíssimas que são propostas. 

Como você consegue reger o coral para apresentação na Missa especial de Natal, ocasião em que participam dezenas de vozes?

Sem dúvida, é um grande desafio. No ano de 2012 conseguimos montar um coral com 49 vozes. Em 2013, conseguimos 64. E, agora em 2014, nossa meta é unir 80 vozes. Além das vozes, é tradição contratarmos também uma orquestra formada por piano, violino, flauta transversa, trompete, trompa, saxofone, baixo acústico e percussão. Temos também os cantores solistas convidados que colaboram para o sucesso da noite. Este ano, o projeto vem sendo preparado com bastante antecedência, pois contamos com uma excelente equipe da Pastoral da Música que dará todo suporte ao projeto. A direção artística e a regência serão feitas por mim. A coordenação geral do projeto é de Cida Fernandes. As coordenações de comunicação, financeira, infraestrutura e logística são de Marialva Lemos, Ivonice Santana, Antônio Medeiros e Renata Gama, respectivamente. A seleção do repertório será feita pela coordenadora da Pastoral, Eliane Bellinha. Sem a ajuda dessas pessoas não seria possível realizar o Projeto. 

Como você concilia seus outros afazeres com a coordenação da Pastoral da Música?

Não é uma tarefa fácil, mas trabalhamos sempre antecipando as atividades da Pastoral. Atualmente, faço pós-graduação e trabalho como diretor artístico do meu grupo de música ao vivo. Sem o suporte da equipe administrativa da Pastoral da Música não conseguiria conciliar os trabalhos da pastoral com a minha rotina pessoal e profissional. São pessoas que estão sempre dispostas e comprometidas com a causa e, às vezes, acabam trabalhando até mais do que eu.

clear