2 de outubro de 2018

Capuchinhos revivem o Trânsito de São Francisco de Assis nesta quarta-feira, 3

Encenação será feita por um grupo de jovens da Basílica, logo após a Santa Missa da 18h no último dia do tríduo

transitoPor Pascom Capuchinhos

Dentro das homenagens a São Francisco de Assis, iniciadas no dia 29 de setembro com a Semana Franciscana, o Santuário Basílica de São Sebastião – Frades Capuchinhos estará revivendo nesta quarta-feira, 3, após a celebração do último dia do Tríduo, o Trânsito de São Francisco é a passagem de São Francisco de Assis desta vida para a outra, isto é, de sua morte, acontecida na tarde do dia 3 de outubro de 1226, um sábado. Franscisco tinha mais ou menos 44 anos de idade e morreu cantando um salmo, na presença de seus confrades. A encenação do Trânsito será feita por um grupo de jovens da Basílica.

E na quinta-feira, dia do Santo, serão celebradas missas solenes às 7h, 9h e às 18h. A tradicional bênção dos animais será dada às 10h, no pátio da Basílica, e às 16h na Praça Afonso Pena.

Trânsito de São Francisco de Assis

Quando ouvimos falar de “trânsito” logo pensamos em carro e nos engarrafamentos das grande cidades do Brasil, como Rio de Janeiro ou São Paulo, ou de outros Países, como Nova York, Paris, Madri, Roma ou Lisboa. Mas, aqui no nosso caso, quando falamos em “trânsito” falamos em “passagem”, ou seja, da passagem de São Francisco de Assis desta vida para a outra, isto é, de sua morte, acontecida na tarde do dia 3 de outubro de 1226, um sábado. São Franscisco tinha mais ou menos 44 anos de idade. Ele morreu cantando um salmo, na presença de seus confrades.

No domingo seguinte, 4 de outubro, foi sepultado na igreja de São Jorge, na cidade de Assis, mas o cortejo fúnebre passou antes pelo mosteiro de São Damião, para que Santa Clara, sua grande amiga, pudesse se despedir.

Por isso, em algumas igrejas franciscanas, as celebrações do dia de São Francisco já se iniciam no dia 3 de outubro, com o Trânsito, seguido de Missa. Depois, o dia 4 é todo dedicado ao Santo, padroeiro dos animais e da ecologia.

Abaixo, oferecemos a você um artigo muito interessante sobre os valores da Espiritualidade Franciscana:

“No dia 4 de outubro, a Igreja celebra a memória de São Francisco de Assis. Para a Família Franciscana, de modo especial para a Ordem dos Frades Menores, esta celebração se reveste do caráter e grau de solenidade.

Para a Igreja e para a humanidade, São Francisco tornou-se inspiração daqueles valores mais essenciais do Evangelho. Por isso sua mensagem atravessou os séculos, e continua a despertar no coração da humanidade aquilo que de melhor ela pode realizar.

A oração litúrgica da solenidade resume assim o significado perene de São Francisco:

“Ó Deus, que fizestes o seráfico Pai São Francisco

assemelhar-se ao Cristo por uma vida de humildade e pobreza,

concedei que, trilhando o mesmo caminho, sigamos fielmente o vosso Filho, unindo-nos convosco na perfeita alegria”

OS VALORES DA ESPIRITUALIDADE FRANCISCANA

Da vida e do modo de ser de São Francisco nasceu uma inspiração de vida, um caminho. A espiritualidade franciscana é fundamentalmente seguimento do Cristo pobre, humilde e crucificado. E o seguimento torna-se um encantamento, que por sua vez leva à configuração com o Cristo. Algumas características desta espiritualidade:

1. Espiritualidade evangélica

‘A vida e a regra’ franciscana é o próprio evangelho; vida de conversão para o evangelho.

2. Vida em fraternidade

‘Deus me deu irmãos’ – a fraternidade, entre irmãos e irmãs, que Deus nos deu, com todas as pessoas e com todas as criaturas.

3. Espiritualidade trinitária

Deus é o Sumo Bem; o Filho nosso irmão; o Espírito do Senhor e o seu santo modo de operar. Maria, o modelo: filha, mãe e esposa.

4. Sem nada de próprio

Seguir o Cristo pobre é a condição do nosso caminho. Livre para amar e servir, retirando tudo o que se interpõe entre as pessoas. O modelo é a encarnação do Verbo.

5. A minoridade

‘Servo de toda humana criatura’; o serviço do lava-pés; a ‘autoridade’ evangélica.

6. A espiritualidade do trabalho

A ‘graça’ de trabalhar; trabalhar com as ‘próprias mãos’; constrói a fraternidade; trabalhar como menores; trabalhar com ‘devoção’; afugenta o ócio, inimigo da alma.

7. A contemplação franciscana

O espírito de oração e devoção que abrange toda a vida e a vida toda; rezar sempre e rezar a vida; rezar no mundo e no conflito; a mediação das criaturas. O eremitério e a solidão.

8. A evangelização franciscana

Evangelizar e deixar-se evagelizar; o ‘evangelho vivo’ do seguimento; é dom da vocação que se prolonga em missão; a fraternidade é o ‘coração’ da evangelização.

9. Espiritualidade eclesial e católica

A fraternidade vivida no seio da Igreja; é célula eclesial, integrada nos serviços e nos ministérios da Igreja. Católico: experimentar Deus e a sua graça em todo tempo e lugar.

10. A perfeita e verdadeira alegria

Acolher, integrar e transformar o ‘negativo’ da vida. A cruz, fonte da verdadeira alegria.”

(fonte: www.franciscanos.org.br – autor: Frei Régis G. Ribeiro Daher)

clear